domingo, 20 de fevereiro de 2011

RECADO A UM POETA

para José Terra.



Não use as palavras;
encarne cada uma delas.
Não faça versos;
arranque-os da alma.
Não expresse o sangue;
deixe sangrar.
Não pense no coração
ou pelo coração;
seja todo coração.
Não viva pela emoção;
dane-se com ela.
Não escreva poesia;
morra pela poesia,
ressuscite por ela
e na poesia se eternize.



(Palmares, 2002)

Nenhum comentário:

Postar um comentário