segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

AMANHECER NO JARDIM ATLÂNTICO





Amanhece no Jardim Atlântico
Um horizonte recortado de edifícios
Figuras geométricas qusse iguais
Engaiolando gentes cotidianos e futuros  


Amanhece no Jardim Atlântico
E é difícil ver o sol
Impossível ver o mar
O bairro renasce azuis e vermelhos
Mais vivo como todo amanhecer
E indiferente ao medo e aos assaltos
Que povoaram suas ruas
Na noite anterior  


Amanhece no Jardim Atlântico
E não é o mesmo amanhecer sobre Olinda
O bairro não é a cidade
A cidade não é o bairro
E o dia poderá ser tão inútil
Quanto a festa de cores de nuvens de pássaros
Da beleza perdida deste amanhecer



(Jardim Atlântico, Olinda  / 
 6 de junho, 2006)