domingo, 30 de julho de 2017

CRIADOR E CRIATURA







                                                                                    para Roberta Malta 



o poema tem corpo e alma 
cidadania e identidade  
(embora seja de outro mundo) 
uma voz de pronúncia certa 
palavras exatas sem medida 
a verdade no coração 
ardendo o seu sangue 
e o olhar de um instante 
eternizando os séculos  
sabe o que diz por sentir 
que o amor não é uma ciência  
e a vida é só passagem 
da humanidade para a luz.  



(casa amarela, recife / 
15 de novembro 2007) 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

AGENDA







há dias assim 
cara de aeroporto  
jeito estação de trem 
semblante metrô 
aspecto rodoviária  


existem horas  
modo lunar  
pintura sem tempo 
desenho estrela  
grão de sol 


e instantes sem fim 
cantiga mulher  
corpo etéreo 
alma concreta  
carne de luz 




(Casa Amarela, 
Recife / novembro 2007) 

domingo, 15 de janeiro de 2017

CONVERSA DIANTE DO ESPELHO





Todos sabem disso, poeta :
Que os pais os irmãos
A mulher os filhos
A família é importante;
Que os amigos,
Raros e essenciais,
São importantes;
E até os simples conhecidos
Das ruas do bairro da cidade
Têm sua importância em tua vida.
Mas ninguém sabe
Que no silêncio e na solidão
Do verso inútil do teu poema
E da tua poesia sempre inacabada
Vive a tua humanidade inteira,
Vista e revista lida e relida
Sem a mais mínima importância
Que o mundo lhe possa dar.
E que a tua existência
- Sim, tu és a importância
Do teu mundo, e disto ninguém sabe -
Nada importaria e não existiria.



(Jardim Atlântico, Olinda / 
 novembro 2006) 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

A POSSE DAS PALAVRAS





As palavras não me deixam dormir
Entram no quarto e vêm para a cama
Encorpadas como uma fêmea
- A poesia não é uma mulher ? -
Erguem meu corpo como se me amparassem
E pedem que eu penetre nelas
Com as suas pernas abertas
E como se a noite fosse um sexo estelar
Desorbitando a minha dor
Com alegria e prazer.


As palavras não me deixam dormir
Até que eu me esgote
Ou refaça em mim
A energia vital
Como uma eternidade sem morte.    




(Jardim Atlântico, Olinda / 
 25 de novembro 2006) 

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

GOSTO DE GOSTAR





"Gosto de gostar gostando..." 
                      (SOLANO TRINDADE) 




Gosto do que sou
gosto do que tenho
da palavra certa
de arte e engenho
da mulher companheira,
cúmplice, parceira,
de quem gosta de mim
homem ou mulher
solidário e de fé
do princípio ao fim
dos céus da cidade
dos campos da rua
dos horizontes da casa
do Estado liberto
do País mais fraterno
da Terra em paz
de prosa & poesia
da melhor qualistria
da vida que vivo
do sonho que sonho
do vinho que bebo
do peixe e do pão
de gostar gostando
do teu coração.




(Jardim Atlântico, 
 Olinda, novembro 2006)  

terça-feira, 27 de setembro de 2016

UM DOIDIM DE ROSA






Dedicado a Sônia, 
uma mineira que conheci em São Paulo. 




Ele me encontrou no meio da estrada :
Um caminho perdido entre a cidade
E aquele mundaréu de lugar...
As palavras saíam da boca
Do jeito que ele andava
(Atropelada fala).
E chegamos então à casa,
No entranhado do mato,
Uma casa que não era nada,
E dentro dela a mulher e a filha.
Comi a comida pouca
E tão generosas
Bebi a bebida
Água-açúcar-ardente-doce
Beberagem que não tinha na terra
E não chovia do céu
E eu comigo acreditei
Que nada daquilo não existia
(Como se fosse uma fantasia)
E todo inteiro ele tivesse saído
Das veredas de uma página
Do livro de Guimarães Rosa.  




(Jardim Atlântico, Olinda / 
26 de outubro 2006) 

sábado, 16 de julho de 2016

DUAL






Somos 
Um só


Corpo
Alma  


Carne 
Sangue  


Falo 
Vulva  


Vinho 
Pão  


Terra 
Céu 


Dois 
Em um 





(Jardim Atlântico, Olinda /
setembro 2006)