quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

A JUVENTUDE MORRE ?






Às vidas de Antonio Olívio, 
Israel Semente, Tony Pereira 
e Maria Tuê. 



A vida não precisa de mortes.
A vida precisa
de estradas longas e sinuosas
que nos levem para Ribeirão
até a presença de Antonio Olívio
e da sua poesia sem idade e sem tempo.
Precisa de paus pedras e pereiras
das águas profundas de Itamaracá
devolvendo à terra
o violão do corpo do seu cantor.
Precisa de bebidas fumos e sementes
não proibidas
com a festa diária
das percussões e pulsações
da música de Israel.  
E precisa de uma mulher
ao mesmo tempo
etérea e terrena
como a identidade múltipla
de criação e criatura
pintura de Maria C.
poesia de Maria Tuê.  




(Olinda, maio / 2005) 



Nenhum comentário:

Postar um comentário